Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Abilio Terra Junior 

marpolle@terra.com.br

Caravagio, Êxtase de São Francisco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Poesia:


Ensaio, crítica, resenha & comentário: 


Fortuna crítica: 


Contos:


Alguma notícia do autor:

 

Abilio Terra Junior

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leonardo da Vinci, Embrião

 

Jornal do Conto

 

 

 

 

 

 

 

 

Goya, Antonia Zarate, detalhe

 

 

 

 

 

Abilio Terra Junior


 

Pequena biografia do autor:
 

Abilio Terra Junior é escritor e poeta, nascido em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Abilio Terra Junior

Formado em Economia pela Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG.

Aposentado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

É membro da União Brasileira de Escritores – UBE.

Possui quatro livros virtuais de poesias, “De Passagem... Deslizes”, “Princípio e Fim”, “Os Homens Pássaros” e “Detrás de um Portal”, e dois de contos e crônicas na Biblioteca Virtual do Portal “Cá Estamos Nós”, “Em um Caminho Desconhecido” e “Um Sonho e Um Poeta”, além de participar de diversas antologias.
Possui uma homepage, http://abilioterrajunior.portalcen.org/index.htm.
Possui um livro publicado, “Os Homens Pássaros”, pela CBJE.
Participou da Antologia “Livre Pensador”, editada pelo Grupo Editorial Scortecci.Administra a página “Literatura na Página Inicial”, http://literatura.paginainicial.com.br.

Participa com seus textos de diversos sites de literatura.

 

 

 

Bernini_The_Rape_of_Proserpina_detail

Início desta página

Carlos Augusto Viana

 

 

 

 

 

 

 

 

Thomas Cole (1801-1848), The Voyage of Life: Youth

 

 

 

 

 

Abilio Terra Junior


 

Comentário sobre Estudos & Catálogos - Mãos:


 

Caro Poeta Soares Feitosa,

O seu "Estudos e Catálogos - Mãos" apresenta-nos a nós, mineiros-urbanos, um complexo compêndio de um mundo insuspeito, naLeonardo da Vinci,  Study of hands ordenação de costumes, crenças, postulados, origens, fábulas, em que homem e mulher somam-se em um idílio original e exuberante; em que este mundo teima em se preservar diante dos olhos e maneiras jovens acostumados a um novo status, produto da mídia globalizante.
Em uma linguagem poética em que você é mestre, aprendemos muito sobre o caráter e o modo de ser das gentes do sertão nordestino, das mãos, dos catálogos, das serifas, da vasta arte dos ferros, em um nobre prefácio ao livro "Recordel", de Virgílio Maia, que, pelas amostras apresentadas, faz jus à esta homenagem.

Um grande abraço,
Abilio Terra Junior

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jean Léon Gérôme (French, 1824-1904)

 

 

 

 

 

Abilio Terra Junior


 

Sobre "Da Caixa Postal aos Corrós de Açude: uma Visita ao Poeta Ascendino Leite.":


Caro Poeta Soares Feitosa,

Mais uma vez você nos leva por "mares nunca dantes navegados", neste empolgante périplo em que homenageia o poeta Ascendino Leite.
Ascendino LeiteDesde cedo, o seu primeiro contacto com este "besouro doudo, muito doudo".
E aí, você vira paraibano, depois pernambucano por 14 anos e baiano por quase cinco.
E com humor refinado, você nos intriga buscando o outro poeta, o Luís Manoel Siqueira, gente finíssima, na caixa postal do próprio.
De passagem, você visita o primeiro rádio, que 'só podia estar de gentes, cheio, muitas, ainda que gente miúda, nos conformes do aparelho.' E os 'besouros mangangás dentro de uma caixa de fósforos',Poussin, The Empire of Flora 'para fazer aparelho igual, rádio.'
E as sirenes que tocam, o 'escapulir ligeiro', graças às rezas de sua mãe, e a codorniz que não passa de 'pinto-de-um-dia', 'piu-piu, adeus, codorniz!'
E os 'corrós de açude?!'
E então, você chega ao 'Ascendino Leite, um poeta auroral', 'novent'anos, auroras, sabe delas.' E visita os seus livros, com um carinho possível de um mestre para outro mestre.
Mais uma aula que vossa mestria nos dá, poetando em prosa e verso sobre os 'diários não cronológicos' do outro grande poeta Ascendino, criador de 'poesia pura.'

 

 

 

Albrecht Dürer, Mãos

Início desta página

Rogério Lima

 

 

 

 

 

 

 

 

Poussin, The Triumph of Neptune

 

 

 

 

 

Abilio Terra Junior


 

Sobre "Joelhos e Mel":


Com o seu afeto e grandeza inesgotável pela poesia e pelos poetas, só possível a quem criou o imbatível e abrangente 'Jornal de Poesia', e parte agora, com o mesmo ânimo, para as 'Edições Cururu', a 'Biblioteca Cururu' e o 'projeto fac-símile', você, Poeta Soares Feitosa, nos dá uma verdadeira aula de alquimia maternal, filial e sentimental, levando-nos a este delicado ritual mãe-filho no preparo e na antevisão de um saborear do prato '(a rigor, um alguidar, imenso)' de mel de engenho com farinha, 'uma coisa deliciosa, porém cheia de manhas.'
E o filho relata, saudoso, a magia, relíquia da ancestralidade, com que a mãe media e deduzia, em cálculos complexos e inacessíveis ao saber do guloso jovem, mantendo-o à espera do cobiçado manjar até aquele momento precioso, imprevisível, verdadeiro rito de passagem em que, aprovada a sutil receita, ouve-se o parecer comovido: '-Meu filho, a dosagem está suportável.'
É quando a emoção os une em um momento mágico: 'E os joelhos de ambos foram insuficientes para tanto amargo.'

Daqui de BH, receba o afetuoso abraço deste seu poeta-amigo,
Abilio Terra Junior


 


 

 

 

Velazquez, A forja de Vulcano

Início desta página

Sebastião Uchoa Leite

 

 

27/12/2005